Logística reversa no campo é tema de palestra durante o 6º Seminário Brasileiro Gestão Ambiental na Agropecuária

InpEV apresentará o Sistema Campo Limpo como prática que contribui com uma agricultura mais sustentável. O evento é parte da Fiema Brasil 2018

O debate sobre quais os caminhos podem ser adotados para tornar a agricultura ainda mais sustentável tem conquistado cada vez mais espaço em eventos do setor. E o Sistema Campo Limpo, programa brasileiro de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas, é um exemplo de boa prática com responsabilidade e sustentabilidade, que tornou o Brasil referência mundial no setor.

E durante a Fiema Brasil (Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente) o gerente de Logística do inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), Mario Fujii, vai mostrar o Sistema Campo Limpo como forma de economia circular e as contribuições ambientais desta política. O Instituto é o núcleo de inteligência do Sistema na destinação das embalagens vazias e também na promoção de atividades de educação e conscientização ambiental.

“O Sistema Campo Limpo é um exemplo de solução com resultados concretos no Brasil, e no mundo, sobre como é possível tratar, por meio da economia circular, os passivos da agricultura. Hoje, o SCL retira dos campos brasileiros aproximadamente 94% das embalagens plásticas primárias de defensivos agrícolas, material este que, depois de reciclado, dá origem a mais de 30 artefatos, trabalhando o conceito de ciclo de vida das embalagens”, destaca Fujii.

O sistema de logística reversa apresenta resultados bastante importantes no que diz respeito à preservação ambiental por meio da reciclagem do material. De acordo com o executivo, em 16 anos de funcionamento do Sistema Campo Limpo, esta prática evitou, por exemplo, que 1,4 milhão de barris de petróleo fossem consumidos. “Já destinamos, ao longo deste período, mais de 460 mil toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas, que seguiram quase que em sua totalidade para a reciclagem. Com isso reduzimos os impactos dos passivos da agricultura e adicionamos ganhos ambientais de grande relevância para o meio ambiente”. Além da desta conquista, este programa resultou na não-emissão de 625 mil toneladas de CO2e. “Isso mostra que o Sistema extrapola as fronteiras agrícolas, contribuindo de com uma gestão ambiental eficiente cujos resultados suprem necessidades do presente sem comprometer as futuras gerações”.

O evento acontece em Bento Gonçalves, entre os dias 10 e 12 de abril. A participação do inpEV será no dia 11, nos painéis “Os passivos da agropecuária brasileira” e “Soluções para gerenciamento de passivos na agricultura”.

Sobre o inpEV

Há 16 anos, o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) atua como núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

Sobre o Sistema Campo Limpo

O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.

Informações para a imprensa:
Ogilvy PR – Daniela Mesquita – Tel.: 11 3024-9324 | daniela.mesquita@ogilvy.com


Fonte: