PALAVRA DO PRESIDENTE

A força de nossa integração

Essa dedicação de todos nos permitiu superar as 500 mil toneladas de embalagens vazias destinadas

Mesmo no complexo cenário do país, encerramos mais um ano com muitas conquistas a comemorar. Foram várias iniciativas do Sistema Campo Limpo (programa de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas), voltadas para buscar sempre a atuação com excelência, envolvendo os diversos elos da cadeia agrícola – agricultores, indústria fabricante, canais de distribuição e poder público.

 

Dentre essas ações, podemos citar a evolução de nossas reuniões regionais. Em dois momentos do ano, os gestores das centrais de recebimento de todas as regiões do Brasil se reúnem para compartilhar experiências, alinhar planejamentos e padronizar iniciativas. As boas práticas disseminadas têm sido implementadas e ajudado o Sistema a aperfeiçoar a operação, reduzindo custos e aumentando a produtividade.

 

Essa dedicação de todos nos permitiu superar as 500 mil toneladas de embalagens vazias destinadas, desde o início de nossa operação, em 2002, e comunicar, com satisfação, que já temos mais de 100 centrais de recebimento aptas a receber embalagens com sobras de agrotóxicos para que eles encontrem a correta destinação.

 

São boas notícias que nos motivam a continuar o trabalho, sempre empenhados em obter melhores resultados.

João Cesar M. Rando

Diretor-presidente do inpEV

VEJA TAMBÉM NESTA EDIÇÃO

80
80

A força de nossa integração

A força de nossa integração

Mesmo no complexo cenário do país, encerramos mais um ano com muitas conquistas a comemorar. Foram várias iniciativas do Sistema Campo Limpo (programa de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas), voltadas para buscar sempre a atuação com excelência, envolvendo os diversos elos da cadeia agrícola – agricultores, indústria fabricante, canais de distribuição e poder público.

Dentre essas ações, podemos citar a evolução de nossas reuniões regionais. Em dois momentos do ano, os gestores das centrais de recebimento de todas as regiões do Brasil se reúnem para compartilhar experiências, alinhar planejamentos e padronizar iniciativas. As boas práticas disseminadas têm sido implementadas e ajudado o Sistema a aperfeiçoar a operação, reduzindo custos e aumentando a produtividade.

 

Essa dedicação de todos nos permitiu superar as 500 mil toneladas de embalagens vazias destinadas, desde o início de nossa operação, em 2002, e comunicar, com satisfação, que já temos mais de 100 centrais de recebimento aptas a receber embalagens com sobras de agrotóxicos para que eles encontrem a correta destinação.

 

São boas notícias que nos motivam a continuar o trabalho, sempre empenhados em obter melhores resultados.