Divulgação inpEV

Mudança melhora compra de fitas e selos que amarram fardos de embalagens compactadas

CAPA

Maior eficiência e menor custo

Projeto da área de Suprimentos aprimora processo de compras do inpEV

Cada vez que uma central de recebimento precisava comprar fitas e selos para amarrar os fardos de embalagens compactadas, havia uma negociação individual, sem que esse processo fosse integrado a todo o Sistema Campo Limpo. Cada central realizava a negociação de valores e especificações técnicas de forma regional. Como parte de um novo projeto implantado pela área de Suprimentos, as compras de fitas e selos agora são centralizadas para as 111 centrais, permitindo melhor negociação comercial e garantia de especificações pré-definidas.

 

A central de Unaí, gerenciada pelo inpEV, já constata as vantagens do novo modelo. “Em uma compra de 60 rolos de fita, que representa cerca de 70% do consumo anual desse item pela unidade, tivemos uma redução de custo de 37%”, afirma Junior do Carmo Brandão, supervisor da central. “O grande volume existente nas compras unificadas permitiu que o negócio fosse feito diretamente com o fabricante, com preços melhores. A mudança foi muito positiva,” completa.

Todos estes ajustes resultaram em ganho de foco para atendimento ao cliente interno, contribuindo com melhores resultados financeiros e atendimento aos prazos

Júlio Sousa

Time de Suprimentos, responsável pelas melhorias no processo de compras

O projeto de compras de selos e fitas, em vigor há alguns meses, é um dos primeiros concretizados após a mudança que começou a ser estudada em 2017, quando a consultoria Deloitte realizou um diagnóstico na área de Suprimentos. Foi identificada a necessidade de revisão dos processos de compras, com o objetivo de sistematizar as etapas com aplicação de metodologias mais modernas, reestruturação da área e criação de indicadores de performance, entre outras iniciativas.

 

Por meio da metodologia Strategic Sourcing – que consiste basicamente em separar e organizar as compras por perfil de itens e de fornecedores, possibilitando a geração de planos de ação adequados para cada tipo de material –, verificou-se possibilidades de ganhos de performance, compliance, redução de preços alavancados pela concentração dos volumes negociados de maneira conjunta e gestão de fornecedores estratégicos.

 

Além disso, houve reestruturação e reforço na equipe de Suprimentos, que passou a atender seus clientes de forma segmentada, como: tipo de compra, por categoria de compra, por volume e por fornecedores estratégicos.  “Todos estes ajustes resultaram em ganho de foco para atendimento ao cliente interno, contribuindo com melhores resultados financeiros e atendimento aos prazos”, explica Júlio Sousa, gerente de Suprimentos.

 

 

Selos que lacram os fardos de embalagens

Economia e qualidade

O projeto de Suprimentos foi desenvolvido durante o ano de 2018 e os primeiros resultados já apontam economias, nas seguintes iniciativas iniciais:

 

1) Negociação centralizada de fitas e selos para as centrais de recebimento;

 

2) Negociações para compra de ativos produtivos;

 

3) Negociação de telefonia móvel;

 

4) Negociações realizadas por compradores especializados e não pelo requisitante;

 

5) Monitoramento e redução de adiantamentos a fornecedores: melhor atendimento aos requisitos de compliance e melhor gestão do fluxo de caixa.

 

A meta central é atender às necessidades dos clientes com a mesma qualidade, mas entregando resultado financeiro melhor. Para isso, uma das bases dessa mudança é incentivar a utilização da ferramenta ERP (Enterprise Resource Planning), desde a solicitação pelo requisitante até o pagamento ao fornecedor. Esse recurso permite enxergar todas as etapas, tornando o trajeto completamente rastreável, o que contribui para a eficiência da gestão e para o atendimento de requisitos de compliance.

 

“Precisamos ter um olhar menos individualizado, enxergando o Sistema Campo Limpo como um todo. A metodologia traz mais economia, segurança, rastreabilidade, gestão por indicadores, tudo em nome de melhor resultado para todos”, afirma o gerente. Ele acrescenta que o time diretamente envolvido recebeu treinamento na nova metodologia para ter claro onde é preciso chegar.

 

 

O grande volume existente nas compras unificadas permitiu que o negócio fosse feito diretamente com o fabricante, com preços melhores

Junior do Carmo Brandão

Junior do Carmo Brandão, supervisoR da central de Unaí (MG), recebe rolos de fitas

Um futuro animador

VEJA TAMBÉM NESTA EDIÇÃO

Recentemente foi elaborada e aprovada a Política de Compras do inpEV e, ao longo dos próximos meses, todos os envolvidos serão treinados para aplicação de suas regras. Outros passos importantes são previstos para o futuro, como a aprovação eletrônica de documentos para pagamento, eliminando a circulação de documentos impressos; a implementação e divulgação de indicadores da área de Suprimentos e a implementação do BI (Business Intelligence) em toda a organização.

 

A implantação bem-sucedida de cada etapa do projeto deve-se, em grande parte, ao comprometimento e envolvimento de todos os participantes. “Houve ampla divulgação das ações do projeto entre todos os envolvidos, o que trouxe visibilidade e entendimento sobre a necessidade de melhoria”, conclui Júlio.

 

 

82
82

Maior eficiência e menor custo

Maior eficiência e menor custo

Projeto da área de Suprimentos aprimora processo de compras do inpEV

Cada vez que uma central de recebimento precisava comprar fitas e selos para amarrar os fardos de embalagens compactadas, havia uma negociação individual, sem que esse processo fosse integrado a todo o Sistema Campo Limpo. Cada central realizava a negociação de valores e especificações técnicas de forma regional. Como parte de um novo projeto implantado pela área de Suprimentos, as compras de fitas e selos agora são centralizadas para as 111 centrais, permitindo melhor negociação comercial e garantia de especificações pré-definidas.

 

A central de Unaí, gerenciada pelo inpEV, já constata as vantagens do novo modelo. “Em uma compra de 60 rolos de fita, que representa cerca de 70% do consumo anual desse item pela unidade, tivemos uma redução de custo de 37%”, afirma Junior do Carmo Brandão, supervisor da central. “O grande volume existente nas compras unificadas permitiu que o negócio fosse feito diretamente com o fabricante, com preços melhores. A mudança foi muito positiva,” completa.

O projeto de compras de selos e fitas, em vigor há alguns meses, é um dos primeiros concretizados após a mudança que começou a ser estudada em 2017, quando a consultoria Deloitte realizou um diagnóstico na área de Suprimentos. Foi identificada a necessidade de revisão dos processos de compras, com o objetivo de sistematizar as etapas com aplicação de metodologias mais modernas, reestruturação da área e criação de indicadores de performance, entre outras iniciativas.

 

Por meio da metodologia Strategic Sourcing – que consiste basicamente em separar e organizar as compras por perfil de itens e de fornecedores, possibilitando a geração de planos de ação adequados para cada tipo de material –, verificou-se possibilidades de ganhos de performance, compliance, redução de preços alavancados pela concentração dos volumes negociados de maneira conjunta e gestão de fornecedores estratégicos.

 

Além disso, houve reestruturação e reforço na equipe de Suprimentos, que passou a atender seus clientes de forma segmentada, como: tipo de compra, por categoria de compra, por volume e por fornecedores estratégicos.  “Todos estes ajustes resultaram em ganho de foco para atendimento ao cliente interno, contribuindo com melhores resultados financeiros e atendimento aos prazos”, explica Júlio Sousa, gerente de Suprimentos.

 

 

Economia e qualidade

O projeto de Suprimentos foi desenvolvido durante o ano de 2018 e os primeiros resultados já apontam economias, nas seguintes iniciativas iniciais:

 

1) Negociação centralizada de fitas e selos para as centrais de recebimento;

 

2) Negociações para compra de ativos produtivos;

 

3) Negociação de telefonia móvel;

 

4) Negociações realizadas por compradores especializados e não pelo requisitante;

 

5) Monitoramento e redução de adiantamentos a fornecedores: melhor atendimento aos requisitos de compliance e melhor gestão do fluxo de caixa.

 

A meta central é atender às necessidades dos clientes com a mesma qualidade, mas entregando resultado financeiro melhor. Para isso, uma das bases dessa mudança é incentivar a utilização da ferramenta ERP (Enterprise Resource Planning), desde a solicitação pelo requisitante até o pagamento ao fornecedor. Esse recurso permite enxergar todas as etapas, tornando o trajeto completamente rastreável, o que contribui para a eficiência da gestão e para o atendimento de requisitos de compliance.

 

“Precisamos ter um olhar menos individualizado, enxergando o Sistema Campo Limpo como um todo. A metodologia traz mais economia, segurança, rastreabilidade, gestão por indicadores, tudo em nome de melhor resultado para todos”, afirma o gerente. Ele acrescenta que o time diretamente envolvido recebeu treinamento na nova metodologia para ter claro onde é preciso chegar.

 

 

Um futuro animador

Recentemente foi elaborada e aprovada a Política de Compras do inpEV e, ao longo dos próximos meses, todos os envolvidos serão treinados para aplicação de suas regras. Outros passos importantes são previstos para o futuro, como a aprovação eletrônica de documentos para pagamento, eliminando a circulação de documentos impressos; a implementação e divulgação de indicadores da área de Suprimentos e a implementação do BI (Business Intelligence) em toda a organização.

 

A implantação bem-sucedida de cada etapa do projeto deve-se, em grande parte, ao comprometimento e envolvimento de todos os participantes. “Houve ampla divulgação das ações do projeto entre todos os envolvidos, o que trouxe visibilidade e entendimento sobre a necessidade de melhoria”, conclui Júlio.