Voltar ao Site Principal

NOVEMBRO DEZEMBRO 2020

ENTREVISTA

Formação de professores é avanço do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo

Aliar a preparação dos profissionais à distribuição dos kits educativos aumenta a probabilidade de transformações nas práticas pedagógicas das escolas participantes

Sheila Ceccon, uma das coordenadoras pedagógicas responsáveis pelo PEA

 

O projeto-piloto de aplicação do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo na cidade de São Paulo, realizado no final de 2019, incluiu formações para ampliar conhecimentos dos professores e professoras em relação à educação ambiental, tendo por base o kit pedagógico distribuído para as escolas participantes. Este ano, a formação foi adaptada para o formato online, atendendo mais de 500 professores da rede municipal da cidade, que vão ter acesso ao kit em 2021. Este curso, em uma outra modalidade de educação a distância, deve ser disponibilizado no próximo ano para todos os professores participantes do PEA no país. Nesta entrevista, Sheila Ceccon, uma das coordenadoras pedagógicas responsáveis pelo PEA, fala dos benefícios da experiência para professores e alunos das escolas participantes do programa.

 

 

 

Como avalia a evolução do PEA Campo Limpo ao longo dos anos? Quais os principais pontos aperfeiçoados?

 

Em 2019, houve um avanço significativo, sendo realizada a primeira experiência com formações presenciais, com 20 horas de duração, junto a professores de seis regiões da cidade de São Paulo. As avaliações foram muito positivas. Além de compartilhar experiências, os participantes puderam conhecer e vivenciar práticas pedagógicas propostas no material oferecido. Vivenciando, conseguiram identificar adequações pertinentes às faixas etárias e às especificidades dos públicos com os quais atuam. O resultado foi gratificante e provocou a demanda por ampliar o público atendido no ano seguinte.

No contexto de pandemia, em 2020, a experiência de sucesso do ano anterior precisou ser reinventada. Foram formadas 13 turmas por meio de educação a distância, com cerca de 40 participantes cada uma, em diferentes regiões da capital paulista. O retorno dos participantes foi bastante positivo.

 

Sheila Ceccon, uma das coordenadoras pedagógicas responsáveis pelo PEA

Os professores se sentem mais seguros para desenvolver percursos formativos relacionados à educação ambiental a partir das formações e do recebimento dos kits do PEA

Sheila Ceccon

Qual a importância de um programa como este para a educação ambiental? Como percebe os resultados nas escolas participantes?

 

A maioria das/os professoras/es não tem formação específica em educação ambiental, pois, em geral, não há espaço para esse conteúdo garantido no currículo das faculdades de pedagogia. Assim, muitos profissionais não trabalham o tema ou o fazem de maneira superficial. O PEA oferece um conteúdo abrangente que contribui para complementar conhecimentos na área e para visibilizar oportunidades de trabalhar educação ambiental de maneira interdisciplinar, ao mesmo tempo fortalece valores e promove o exercício de cidadania.

Acho que o principal resultado é a motivação para trabalhar com as crianças o que é abordado no curso. São muitas as manifestações nesse sentido. As/os professoras/es se sentem mais seguras/os para desenvolver percursos formativos relacionados à educação ambiental, e em especial a resíduos sólidos, a partir das formações que estão sendo oferecidas pelo Programa e do recebimento dos kits do PEA.

 

 

 

Quais as principais inovações este ano e qual a expectativa quanto a benefícios para alunos e professores?

 

A principal inovação foi oferecer o curso de formação dos professores no ambiente virtual. Desafio grande que está sendo bem-sucedido. Já temos várias manifestações bem positivas das/os participantes. Outra inovação foi pedir que todas/os produzam um Trabalho Final, um Plano de Aula que dê vida ao que foi abordado no curso, que organize e proponha um percurso didático levando em conta as especificidades do público com o qual cada uma/um atua. Estamos recebendo trabalhos muito bons e muito exequíveis. E foi oferecida a possibilidade de disponibilizar as produções para publicação virtual, ou seja, todas/os as/os participantes, das diferentes regiões de São Paulo, terão acesso aos trabalhos de vários outros colegas, o que certamente inspirará mais ações.

Desenvolver o PEA é como semear. Ao longo desses anos muitas sementes foram plantadas. Nesses dois últimos anos, com a experiência de distribuição dos kits agregada à formação de professoras/es temos certeza de que a probabilidade de germinarem e produzirem transformações nas práticas pedagógicas aumentou muito. Professoras/es motivadas/os a desenvolverem atividades que façam sentido para a vida das crianças tornam o aprendizado mais prazeroso, o interesse e o conhecimento se ampliam, e a realidade escolar pouco a pouco se transforma.

 

VEJA TAMBÉM NESTA EDIÇÃO

Superação de desafios inéditos

Superação de desafios inéditos

João Cesar M. Rando Diretor-presidente do inpEV

Juntos, superamos um ano atípico


            Sipat do Sistema Campo Limpo aborda cuidado com o próximo

Sipat do Sistema Campo Limpo aborda cuidado com o próximo

PERSONAGENS DO KIT PEDAGÓGICO DO PEA 2021

Programa de Educação Ambiental Campo Limpo terá kit físico e atividades online

InpEV e Campo Limpo Reciclagem foram finalistas em prêmios internacionais

InpEV e Campo Limpo Reciclagem foram finalistas em prêmios internacionais