Estudo indica que Sistema Campo Limpo evitou a emissão de 823 mil toneladas de dióxido de carbono

Programa de logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas permite economia de energia suficiente para abastecer mais de 5,2 milhões de residências por um ano

São Paulo, abril de 2021 - Exemplo de economia circular, o Sistema Campo Limpo (programa de logística reversa de embalagens vazias e sobras pós-consumo de defensivos agrícolas) evitou a emissão de 823 mil toneladas de gás carbônico equivalente entre 2002, quando o programa entrou em operação, e dezembro de 2020. Esse volume corresponde à emissão de mais de 15,5 mil viagens em torno da Terra de caminhão. São números apontados pela mais recente edição do Estudo de Ecoeficiência do Sistema Campo Limpo, realizado pela Fundação Espaço Eco.

Se essa emissão de CO2e tivesse acontecido, seria necessário plantar quase 6 milhões de árvores para capturá-la da atmosfera. Por permitir a economia de recursos naturais, o programa de logística reversa possibilitou que quase 1,9 milhão de barris de petróleo deixassem de ser extraídos.

Referência mundial em destinação de embalagens pós-consumo de defensivos agrícolas, o Sistema evitou ainda, desde 2002, o consumo de 36 bilhões de megajoules de energia, que seria suficiente para fornecer energia elétrica para 5,2 milhões de residências durante um ano.

“Esses benefícios ambientais resultam da concretização do conceito de economia circular. O Sistema prolonga a vida útil dos materiais por meio da reciclagem, fechando o ciclo de vida das embalagens vazias de defensivos agrícolas. As embalagens voltam a ser usadas como matéria-prima para novos produtos, reduzindo a extração de recursos naturais”, destaca João Cesar Rando, diretor-presidente do inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), entidade gestora do Sistema Campo Limpo.

“Ao encaminhar para destinação correta 94% das embalagens comercializadas no país, o Sistema é um sólido exemplo de que a legislação eficiente e o engajamento de todos os elos da cadeia produtiva agrícola podem gerar impactos ambientais, sociais e econômicos bastante positivos”, completa Rando.

Sobre o inpEV

Desde 2002, o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) é entidade gestora do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

Sobre o Sistema Campo Limpo

O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração.

Mais informações sobre o inpEV e o Sistema Campo Limpo estão disponíveis no site www.inpev.org.br , no Facebook , Youtube e Instagram .

Informações para a imprensa:
Hill +Knowlton -
Silvia Braido -
silvia.braido@hkbrasil.com.br
Celular / WhatsApp: 11 999957 8761

Adriane Froldi - adriane.froldi@hkbrasil.com.br
Celular / WhatsApp: 11 99105 7831


Fonte: